Criando Elos e Acolhendo com carinho

Data: Janeiro e Fevereiro

Mais um ano de trabalho se inicia, com ele também iniciam as atividades das unidades. Os primeiros dias de retorno a este ambiente ficam conhecidos pelo período de adaptação pelo qual criança, família e escola passam. 

A criança está deixando a convivência com seu ente familiar para ir a um ambiente que lhe é estranho, portanto, precisa se sentir acolhida. Para tanto é essencial que o educador crie um vínculo afetivo com o pequeno, de forma que a criança perceba essa transferência de cuidado, afeto e confiança.

É fundamental conversar sobre o que está acontecendo, o reconhecer o sentimento dela naquele momento, o esperar pelo seu tempo, o brincar, a interação lúdica como recurso de aproximação, o colocar o limite necessário com firmeza de alguém que quer ajudar são algumas indicações importantes para que o novo aluno sinta-se acolhido e escutado.

Durante a adaptação a educadora auxilia a criança a familiarizar-se com os novos horários do sono, alimentação e banho, buscando um equilíbrio dos seus hábitos e costumes, aproximando-os gradualmente até acomodá-los a rotina da unidade.

 É importante nesta fase que todos, pais e educadores, possam compreender e respeitar o momento da criança de conhecer o novo ambiente e estabelecer novas relações. À medida que ela vai se integrando, podem ser percebidas as influências positivas de sua permanência em uma unidade que oferece boas condições para o seu desenvolvimento.

Sendo assim o período de adaptação é muito importante, tanto para a criança como para os pais. Mesmo para as crianças que já frequentam a unidade, uma nova rotina se inicia após um período de férias. Este período de adaptação é muito especial, sendo que para cada criança e família este momento ocorre de um jeito diferente e precisa ser tranquilo, com confiança e muito amor. Segundo Rosseti-Ferreira (p.51) “Um período de adaptação bem conduzido possibilita que pais e educadores, através de sua convivência, estabeleçam uma relação produtiva de confiança e respeito mútuo.”